quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Dog days are over

Então você teve o disparate de achar que ia ser fácil de novo dessa vez?
Eu sei que você pensou que ia ser igual às outras muitas vezes: eu seria idiota ao ponto de te aceitar de volta. Tudo voltaria a ficar bem entre a gente. Eu acreditaria em você de novo. Você faria mais uma vez as merdas que você não se cansa de fazer. Eu iria embora. Depois de um tempo, você voltaria pedindo perdão, dizendo que não há necessidade de tal coisa. E eu estaria aqui, de braços abertos, te perdoando e agradecendo por estarmos voltando aos velhos tempos. E aí eu seria idiota ao ponto de te aceitar de volta.
Errado, meu amor. Agora as coisas são do meu jeito.
Seria cômico se não fosse trágico o fato de você ser tão previsível. O script já estava todo feito na minha mente: você foi embora, mas uma hora voltaria. JACKPOT! Eu tinha que ter apostado isso com alguns amigos, ainda levaria um dinheiro no final.
Às vezes eu fico me perguntando o que se passa na sua cabeça, pra você chegar ao ponto de achar que eu ia passar pela mesma coisa contigo várias vezes, e em todas elas eu ia ter a mesma reação. Eu te acostumei mal, meu amor? Eu criei na sua mente uma utopia onde eu estaria aqui pra sempre? Ah, claro. Eu lembro do dia em que eu te falei isso. Mas eu oficialmente retiro minhas palavras. Sinceramente, você não vale meus minutos preciosos, você não é o bastante pra ocupar minha mente. Não vou ser clichê ao ponto de dizer que o tempo que eu estive contigo foi perdido. Pensando bem... A partir do momento em que eu não tirei praticamente nada de bom dessa relação bizarra, foi tempo perdido sim. E que fodam-se os clichês.
O mais interessante é que dessa vez eu não passei por nenhum momento muito difícil, sabe. Só senti aquela puta raiva, claro, no tal dia onde você mais uma vez me provou o pouco que você vale. Depois disso, as coisas fluiram de um jeito sutil e fácil. Eu me perdoei por mais uma vez ter ido contra a minha natureza e ter sido trouxa de achar que só eu estar por perto ia te fazer mudar. Mas pelo visto não, né? E depois disso, não ficou nada. Nem a raiva que eu senti, nem saudade, nem vontade de te ligar, nada mesmo. Dormência total. E eu estou bem como eu nunca estive até então, agora eu me sinto realmente viva, sem nada que fique me puxando pra trás, nada que me faça perder horas de sono me perguntando onde eu errei. Até porque só agora eu descobri onde foi meu erro: lá no início, quando eu achei que poderia ser interessante ter algo contigo. Mas agora eu reconquistei toda a minha sanidade e bom senso que eu tinha perdido assim que te deixei entrar na minha vida.
Sabe, quando eu vi que você queria uma outra segunda chance, a vontade que me deu foi de rir. Mas não rir de deboche, e sim rir por causa do choque que eu tomei. O que te levou a pensar que eu ia ter deixar voltar mais uma vez? Sinto lhe dizer que minha época masoquista já foi embora. Eu sofri por você mais do que muita gente já sofreu em muito mais tempo. E no final, foi muito esforço, muito sofrimento, muita dor, muita vontade de sair distribuindo socos por aí por nada. NADA. Mas você fez o que quis, judiou de mim até a última instância, mas isso foi bom. Porque agora, eu voltei muito mais forte. Forte o bastante pra te dizer adeus pela última vez e me sentir mais leve depois disso. Forte o bastante pra não sentir mais a sua falta. Então agora pegue todo o seu cinismo e vá despejá-lo em alguém que o queira.
Bem, acho que era isso o que me faltava dizer, ainda que nada do que eu tenha dito aqui seja novidade pra você. Entenda que não se pode ter tudo. Você me sacrificou por algo que todos sabem onde vai dar. Não há ninguém mais pra te culpar por tomar as piores decisões do que você mesma. Então aproveita essa sua decisão e me esquece de uma vez por todas. Assim como eu já te esqueci.
Todas as pessoas que entram na minha vida, me perdem do mesmo jeito. Será que o problema sou eu? Será que eu ativo o botão "Apague a sanidade da sua mente e faça merda" nas pessoas? Isso é algo que eu nunca vou saber. Mas o fato é que oficialmente meus dias de cão terminaram. E os seus, meu amor... Ah, os seus estão só começando.

Redemption, at last.

- Post originalmente escrito em 16/03/11 -