quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Divagações sobre 2010

É... Mais um ano passando aí. Meu 19º reveillon tá chegando, não sei se fico felizona por isso ou se fico tensa por isso ser um sinal que 2012 tá chegando muito rápido e vai todo mundo rodar (brinks, eu não acredito nisso do mundo acabando em 2012), mas o fato é que nesse ano rolou muita coisa mesmo. Não que nos outros anos não tenha rolado (até rolou, mas minha memória não me permite lembrar) mas 2010 foi o ano mais saturante de todos. Em todos os sentidos. Sem mais delongas, vamos pro resumo do coquetel molotov que foi 2010 pra mim.
2010 foi um ano de muitas mudanças pra mim. Não, eu não tô apelando pro clichezão, foi um ano de muitas mudanças mesmo. A começar logo por janeiro, mais precisamente dia 9, que foi quando eu oficialmente me mudei de casa (me mudei SEM EU SABER, vale lembrar). Deixei pra trás 11 anos de muita história no meu prédio antigo. Assim, cada parede, cada degrau de escada, cada pedaço do chão em que eu andava de skate ilegalmente daquele prédio guarda uma carga de lembranças minhas tão grande. Eu digo pra quem quiser ouvir, não é novidade que eu passei pelas melhores - e piores - experiências naquele prédio. Então quando eu vi que eu tava numa casa até que legal, com gente interessante morando por perto, mas sem os parceiros que faziam os meus dias mais felizes, sem os ensaios aos domingos da minha banda, sem as intrigas que rolavam, sem tudo aquilo que foi a base da minha adolescência, eu me senti meio perdida. Muito desesperada, e perdida. A adaptação foi dificil - só agora que eu estou começando a me sentir confortável aqui - mas o fato é que eu gostaria muito de voltar pro meu prédio antig. E ir lá pra baixo todo dia às 16h. E ouvir minha mãe me gritando da janela quando eu desaparecia do campo de visão dela. E ir jogar videogame e beber o melhor capuccino ever com o Leandrinho. E ser acusada de traficar bebidas pra dentro dos blocos. E fazer milhões e milhões de merdas pelas escadas e na garagem. E sei lá... Ser feliz.
Aí foi isso, me mudei em janeiro, e me manti tão desesperada, que não consigo lembrar de NADA do que eu fiz até abril. Em maio conheci tanta gente babaca que cacete, prefiro até apagar esse mês da minha mente. E junho foi um mês mais escroto ainda, porque dentre outros fatores, depois de sucessivas crises renais e aliens aparecendo misteriosa e bizarramente na minha barriga, eu fui oficialmente notificada de que eu teria que fazer uma cirurgia. Meu ureter esquerdo estava entre uma artéria que nasceu erroneamente bifurcada, herança do meu pai. Passei junho e julho me preparando. Em agosto, 5 dias depois do meu aniversário, lá estava eu recebendo o [ironia]melhor presente de todos[/ironia]: no hospital, às 6 da matina com aquela roupa azul que é um fashion disaster e uma enfermeira do meu lado, me dando um comprimido igualmente azul (que eu fiquei me perguntando se aquilo não era Viagra) que me deixou MUITO louca mesmo. Segundo relatos da minha mãe, depois que eu tomei o tal comprimido, eu fiquei rindo que nem uma louca e me despedi dela e do meu pai com um "é nois" antes de ir pra cirurgia. E o que mais dói é que eu não consigo lembrar de nada disso. Fiquei num quarto com uma senhora que tinha câncer. Era o terceiro câncer dela, na bexiga. Ela também já havia passado por um câncer de mama e um no rim. E Deus, como ela sofria. Acho que os dois dias que eu fiquei no hospital foram os piores da minha vida, não pelo meu pós operatório ter sido um pouco doloroso, e por eu ficar chorando que nem uma louca querendo ir embora, até porque iss não era NADA perto do que ela passava. Ver tudo o que estava acontecendo com aquela mulher me fez ver que  meu problema no rim não era nada de mais, mesmo passando pelas crises tensas, mesmo parecendo que tinha algo me cortando por dentro a cada vez que meu rim gritava. Depois voltei pra casa e não sei que fim ela levou. E eu pensei que eu fosse uma pessoa mais forte.
Agosto foi um mês praticamente perdido. Passei ele quase inteiro deitada, até rir doía, foi muito tenso mesmo. Mas em setembro eu já estava muito bem de novo, o que não me matou (de dor) me fortaleceu, e minha recuperação foi muito rápida. Em outubro eu já estava 100%, e digo com todas as letras, foi em outubro que meu ano realmente começou. Logo de cara parei de falar com praticamente metade das pessoas que eu conhecia, algumas delas MUITO importantes, que eu só percebi a falta que faziam depois. Adotei o estilo do "my way or the high way" e literalmente toquei o foda-se pra tudo, foi uma fase muito revolts. Aí no meio de outubro conheci a galere do B.C.X., por intermédio do meu primo, guris que nossa, se não fosse por eles eu estaria mega sem rumo hoje. No fim de outubro teve Rio Anime Club. Aí... Ah cara, aí sim minha vida começou a voltar pros eixos. Novembro foi o melhor mês, sem sombra de dúvidas, o mês em que eu estive mais focada em todo o ano, o mês em que eu finalmente decidi o rumo que eu queria pra minha vida. E dezembro tá sendo o mês das minhas principais conquistas até então, consegui quebrar vários obstáculos internos. Aí sim, meu ciclo ficou totalmente completo.

Enfim, depois de ser trollada com vigor de janeiro a setembro, outubro, novembro e dezembro valeram pelos 9 meses anteriores. Ok que dezembro também foi mega troll em certos períodos, mas tudo o que eu consegui alcançar nele valeu pelas trolladas random que eu fui submetida. 2010 poderia ter sido melhor? Com certeza. Eu mudaria muitas coisas que eu fiz lá pro começo do ano, teria pensado duas vezes antes de tomar certas decisões, mas sei lá, todo mundo faz gordice de vez em quando, e eu não sou perfeita (por mais que eu discorde disso -qn). Mas tudo o que eu passei serviu de aprendizado, claro. E 2011 vai ser o ano em que EU VOU TROLLAR TODO MUNDO /trollface.

Eu espero 2011 seja infinitamente melhor que 2010, porque parece que esse ano foi um ano muito merda pra praticamente todo mundo que eu conheço. Então resumindo, desejo um puta 2011 pra todo mundo. Com muitas putas, iates, correntes de ouro com diamantes, casacos de pele, charutos e Chandon. E crianças, não usem dorgas. Só às sextas-feiras.

- Post originalmente escrito em 30/12/10 -