quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Divagação random - O último dia com 18 anos


Muita gente vai achar esse post sem nexo. Vão dizer que não tem nada a ver falar sobre isso, que embora amanhã eu vá fazer aniversário, 19 anos é uma idade como qualquer outra e afins. Mas falar sobre o meu último dia com 18 anos não quer dizer que eu vá me focar em dizer como eu acho que meus 19 anos vão ser, os meus projetos e tal. Minha intenção é fazer um balanço de como foram esses 365 dias, ou melhor, 364 dias carregando pela primeira vez o peso da maioridade nas costas. Vamos aos fatos.
No início, eu não achava que fazer 18 anos fosse ser um big deal. Sempre sustentei aquela tese de que 18 anos era uma idade como as outras, mas não é bem assim. A responsabilidade vem de carona, junto com cobranças vindas das mais variadas direções. Mas por um lado, pelo menos 2/3 do que se faz escondido até os 17 anos pode ser feito sem maiores ressalvas aos 18, enquanto por outro, pequenas coisas que eram sussa na adolescência devem ser riscadas da lista dos maiores de idade. Ou então devem ser feitas muuuito bem escondido. Dica: fique sempre com a segunda opção… Até ser pego. Se isso acontecer, claro.
Eu lembro vagamente de como foi 9 de agosto do ano passado… Caiu num dia dos pais, e eu lembro que fiquei puta porque não pude sair no dia… Mas mesmo assim, eu fiquei basicamente o dia inteiro com meus amigos no prédio, e tal... Mas a tarde foi o ponto alto do meu aniversário. porque foi quando eu conheci a pessoa que provavelmente é a mais importante pra mim desde então, um guri que assistia Domingo Legal (podem rir, eu ri pra cacete quando ouvi isso também), e que não passava de um “playsson escroto” na minha opinião. É bizarro como a primeira opinião que eu tive dele mudou drasticamente com 2 horas de conversa. E mudou. Não consigo mais imaginar minha vida sem ele, Leandrinho, que nesse tempo subiu do posto “amigo” pra “primo”.
Eu já passei por tanta coisa com ele nesse 1 ano… E a cada obstáculo que a gente atravessa juntos, mais se fortalece a nossa irmandade. E vai ser sempre assim. É fato que sempre que eu precisar ele vai estar ali, pra estender a mão quando eu estiver numa bad, é aquela pessoa que eu sei que eu posso contar até a última instância, assim como ele sabe que eu também vou estar sempre aqui. Eu nunca achei que fosse manter uma amizade tão sólida com ele como a que a gente tem atualmente. E felizmente, eu me enganei quanto a isso. Leandrinho, sua bicha de olhos verdes, eu amo você pra cacete <3
Sintetizando esses 364 dias, eu posso dizer que passei por muita coisa boa, coisas inesquecíveis, na verdade. Também lidei com muita gente babaca, sério, acho que eu conheci e me relacionei com mais gente babaca nesse 1 ano do que na minha vida inteira, mas elas me serviram de aprendizado pra eu não cair no mesmo erro outra vez. Realizei sonhos, estabeleci metas. Aprendi, finalmente, a distinguir amigos de pessoas que estão por perto só pra tirar proveito de determinada situação. Evidente que tomei algumas porradas da vida também, me decepcionei com basicamente meio mundo, vi gente sofrendo gratuitamente, ao mesmo tempo que sofri e me recuperei na mesma proporção, o que me tornou alguém mais racional, e digo até que fiquei um pouco mais fria do que eu já era. Mas também conheci pessoas que vão ser parceiras até o fim dos tempos. Passei a dar mais valor pra mim e pro que realmente vale a pena, a enxergar a simplicidade nas coisas. Deixei de tentar prender as pessoas a mim a todo custo, ao mesmo tempo em que passei a me dar mais liberdade: liberdade de tomar decisões arriscadas, de me permitir fazer coisas que eu não faria antes (sem levar pro lado menos ortodoxo galerë –q), enfim, aproveitar mais as coisas, sem ficar naquela de adiar o que deve ser feito até o fim. Eu mudei meu modo de pensar e agir uns 300% de 9 de agosto de 2009 até hoje, 8 de agosto de 2010. E digo com toda a certeza, mudei pra melhor.
Vendo agora, eu aproveitei bem esse meu primeiro ano como maior de idade. Não cheguei muito perto de ser presa nem nada do tipo, então creio que me saí bem. Os que já fizeram 18 anos sabem o que eu tô falando, e pros que ainda não fizeram: aproveitem muuuuuuito a adolescência, sério mesmo. E não se iludam achando que com 18 vocês vão colocar pra fuder, dizendo que vão dominar o mundo e “é nois” porque não vai ser assim. A maioridade é como se fosse um octagon, e a responsabilidade vem que nem o Chuck Liddell te dando várias cotoveladas from hell na cara, e o que você tem a fazer é não deixar passar a guarda,  virar o jogo e finalizar com uma guilhotina antes de acabar o terceiro round \o/
E sinto que meus 19 anos vão ser MUITO foda (y)’

PS¹: Achei MEGA random a minha analogia no final :B
PS²: Um happy b-day pra quem faz aniversário em agosto (^)


- Post originalmente escrito no dia 08/08/10 -